Bolsonaro demite General Santos Cruz

Cai primeiro General do goveno

Por Carlos Alberto 15/06/2019 - 12:08 hs
Foto: 247
Bolsonaro demite General Santos Cruz
santos cruz

General Carlos Alberto dos Santos Cruz deixará o ministério da Secretaria Geral da Presidência; durante sua permanência no Planalto, o militar foi alvo constante de críticas dos filhos do presidente e do ideólogo Olavo de Carvalho, alimentando um embate entre a ala militar e os olavistas.

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro e deixará o ministério da Secretaria Geral da Presidência do governo. O militar foi comunicado de sua saída em reunião nesta quinta-feira 12, em que estavam, além do presidente, os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.

Segundo O Globo, a decisão foi atribuída a uma "falta de alinhamento político-ideológico" e embates com outros integrantes do próprio governo.

Durante sua permanência no Planalto, o militar foi alvo constante de críticas dos filhos do presidente e do ideólogo Olavo de Carvalho, alimentando um embate entre a ala militar e os olavistas.

Santos Cruz chegou a defender os militares após críticas feitas por Olavo ao grupo, em especial ao vice-presidente, Hamilton Mourão. "Não leio Olavo de Carvalho. Acho ele 1 desocupado esquizofrênico", afirmou em maio, após um tuíte de Olavo em que afirma que Santos Cruz "fofoca e difama pelas costas".

Outro embate recente foi o que envolveu a propaganda do Banco do Brasil que exaltava a diversidade, com diversos atores negros. No final de abril, a Secretaria de Governo desautorizou uma ordem da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) para que todo o material de propaganda da administração pública, incluindo o das estatais, passasse por análise prévia da pasta. A ordem veio um dia após Bolsonaro mandar suspender a publicidade do BB, o que contraria a lei das estatais.

Comandante militar do Sudeste, general Ramos substituirá Santos Cruz

O presidente Jair Bolsonaro já escolheu o substituto do ministro Santos Cruz, demitido nesta quinta-feira, 13, da Secretaria de Governo. É o general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, comandante militar do Sudeste; em abril, o general classificou como "fatalidade" o fuzilamento de militares contra o carro de uma família com mais de 80 tiros, matando o músico Evaldo Rosa dos Santos e o catador Luciano Macedo

O presidente Jair Bolsonaro já escolheu o substituto do ministro Santos Cruz, demitido nesta quinta-feira, 13, da Secretaria de Governo. É o general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, comandante militar do Sudeste.

De acordo com o Exército, Ramos é natural do Rio de Janeiro. Ele foi declarado aspirante a oficial da arma de Infantaria em 1979, e promovido a general de Exército, topo da carreira militar, em 2017. Entre as principais funções exercidas pelo general, estão o comando da 11ª Região Militar, em Brasília (DF), e da 1ª Divisão de Exército, no Rio de Janeiro (RJ). O general Ramos também atuou na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti e foi vice-chefe do Estado-Maior do Exército.

Santos Cruz é o terceiro ministro a deixar a gestão Bolsonaro, após as demissões de Gustavo Bebianno (Secretaria Geral) e Ricardo Vélez Rodríguez (Educação).

No último mês de abril, o general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira disse que o fuzilamento de militares contra o carro de uma família com mais de 80 tiros, matando o músico Evaldo Rosa dos Santos e o catador Luciano Macedo, que estava em coma e morreu hoje, não foi um assassinato.

"Houve uma fatalidade. O pessoal tem colocado assassinato, não é", disse aos jornalistas que acompanhavam a cerimônia do Dia do Exército, no Quartel General da Força em São Paulo. "Os soldados que estavam em missão na parte da manhã tinham sido emboscados. Quem como eu já esteve em uma situação dessa, de muita tensão, muito difícil... A gente, para julgar o que aconteceu, tem que esperar as investigações", completou